Fale conosco via WhatsApp

Quinta, 26 de novembro de 2020
informe o texto
Menu

Easy Campo Grande 107,1 fm No Ar: Morena FM na Madrugada

Notícias

Advogada especialista em convívio familiar explica como lidar com o divórcio durante a pandemia

Advogada especialista em convívio familiar explica como lidar com o divórcio durante a pandemia

Advogada especialista em convívio familiar explica como lidar com o divórcio durante a pandemia

29/09/2020 - 11:03

Meses de pandemia, de hiperconvivência e de perceber o que não era visto. Diálogo e maturidade são essenciais para casais que optaram pelo divórcio.​

O isolamento social durante a pandemia do novo coronavírus trouxe mudanças drásticas no cotidiano de vida das pessoas. 
O reflexo de tudo isso tem repercutido no convívio familiar e nos relacionamentos, também foram impactados por conta do distanciamento social e muitas famílias mais próximas do que nunca. 

Em entrevista ao Primeira Página a Advogada especialista em direito da família, Simone Godoy, explica que a pandemia agravou sintomas de problemas que já existiam.

“Os problemas não surgem de uma hora para outra. As pesquisas mostram que o relacionamento que já tinha instabilidade teve uma lente de aumento aplicada aos problemas.  As pessoas então descobrem que não faz mais sentido ficarem juntas”.

Ela reforça ainda que atualmente, a busca pela felicidade e os novos modelos de divórcios mostram que não existe mais a necessidade em sentir culpa pela separação. O casal precisa prezar o diálogo e tentar resolver a questão da melhor maneira possível.

“Caso não haja possibilidade de continuar com o relacionamento, é possível lidar com o processo de divórcio na pandemia sem deixar ainda mais doloroso. Nos casos em que há crianças envolvidas uma dinâmica precisa acontecer. Não podemos ver o divórcio como uma guerra, mas sim como o fechamento de um ciclo e o começo de outro. Não precisa ser o 'felizes para sempre', mas o 'foi bom enquanto durou".

Com o fim do relacionamento, a sensação é de que o casamento não deu certo, e isso traz uma série de frustrações que podem ser evitadas com diálogo e parceria, principalmente quando há menores de idade envolvidos. A advogada explica que a maturidade em ver os pontos positivos da relação alivia a sensação de perda e revolta.

“Não precisa dizer que o casamento não deu certo. É comum as pessoas dizerem isso, mas sempre há pontos positivos: os filhos que tiveram, o carinho que sentiram um pelo outro, os bens construídos. Tudo isso tem que ser avaliado para que ambos possam seguir sem culpa”.

O judiciário já vinha sobrecarregado com processos antes da pandemia e atualmente ficou ainda mais lento. Para alguns casos, é possível o divórcio online, porém, há ressalvas quando se tem filhos menores de idade. 

Simone ressalta que, atualmente é impossível dissociar as questões jurídicas de famílias, das emocionais, por isso cada vez mais a busca por consenso e diálogo são importantes. 

“É importante que os casais entendam que existem duas relações, a relação conjugal, que termina com o casamento, e a relação parental, no caso dos filhos, que é eterna. Por isso, ter a maturidade para terminar o casamento é tão importante, pois essas ações influenciam no crescimento e formação dos filhos para toda a vida”, conclui.

OUÇA AQUI A ENTREVISTA NA ÍNTEGRA

Fonte: Morena FM

Morena FM 107.1 - Rua Santana, 170 - Jardim Tv Morena, Campo Grande - MS,
CEP 79051-200. Tel.: 67 3348-2014
Home
Sitevip Internet